A participação das mulheres nas olimpíadas

Início/Empoderamento feminino, Sem categoria/A participação das mulheres nas olimpíadas

A participação das mulheres nas olimpíadas

A participação das mulheres nas olimpíadas Rio 2016 é a maior de todos os tempos. Cada vez mais as mulheres estão conquistando seu lugar no esporte e mostrando toda sua garra e determinação. Mas nem sempre foi assim, a participação feminina só foi permitida a partir de 1900. Conheça a história!

Os Jogos Olímpicos surgiram na Grécia, em Atenas, em 1896 e somente atletas homens podiam participar. Na edição seguinte, em 1990, nos Jogos Olímpicos de Paris, apenas 2,21% do total de competidores eram mulheres, sendo 22 atletas competindo nas modalidades tênis, vela, críquete, hipismo e golfe.

Atualmente as atletas inscritas somam um total de 5.180, sendo duas modalidades exclusivamente femininas: o nado sincronizado e a ginástica rítmica. Este número supera em mais de 10%  o alcançado em 2012. No Rio 2016 a equipe brasileira é recorde, sendo 209 mulheres e 256 homens, a maior participação feminina na nossa história de Jogos Olímpicos.

Alguns destaques da participação das mulheres nas olimpíadas:

 

Kallipateria

As mulheres eram barradas das Olimpíadas da Grécia Antiga. Se as casadas fossem pegas assistindo aos Jogos, elas eram condenadas à morte. Kallipateria era a mãe de um lutador de boxe chamado Pisirodos. Ela correu risco de morte ao assumir o papel de seu treinador, vestindo-se com trajes de homem. Quando Pisirodos ganhou a competição, ela não aguentou a emoção e acabou se expondo ao público. Sua vida só foi poupada porque seu pai, seu irmão e seu filho já tinham sido campeões olímpicos.

Theresa Weld

A skatista norte-americana levou a medalha de bronze nos Jogos da Antuérpia, em 1920. Um dos jurados, porém, chamou a atenção da moça a respeito de manobras consideradas “impróprias para uma dama”.

Nadia Comaneci

A primeira nota 10 da ginástica artistica nas olimpíadas completou 40 anos em 2016. Em 18 de julho de 1976, a romena Nadia Comaneci voou deireto para a história com seu último movimento nas barras assimétricas, finalizando uma série com execução impecável e com uma técnica jamais vista. Ela tornou-se a primeira ginasta a conseguir sete notas 10 em uma competição olímpica.

Wodjan Shaherkani

A judoca Wodjan Shaherkani fez história ao se tornar a primeira mulher saudita a competir na história dos Jogos Olímpicos. Ela disputou com a cabeça coberta, com um véu adaptado. A Arábia Saudita era até Londres, ao lado do Qatar e de Brunei, um dos três países que nunca haviam enviado representação feminina aos Jogos.

Joan Benoit

Até 1984, acreditava-se que mulheres não eram capazes de competir em provas longas de corrida. Os Jogos desse ano, em Los Angeles, foram os primeiros que contaram com a maratona feminina. A norte-americana Joan Benoit foi a grande vencedora, terminando a prova em 2h24min52s. Ela era tão resistente que, ao fim da prova, disse que poderia dar meia volta e correr por mais 40 km.

 

Gostou? Inscreva-se em nossa newsletter e receba novidades todas as semanas!

 

Imagem de capa: Reprodução

By | 2019-04-09T03:13:52+00:00 agosto 5th, 2016|Empoderamento feminino, Sem categoria|0 Comentários

About the Author:

Deixar Um Comentário